As cotas raciais são justas?

Após um breve período afastado do blog, trago nesse lindo dezembro um debate meio passado, mas que recentemente apareceu com certa frequência na minha vida. Então como um economista apegado as estatísticas, tentei olhar essa questão por um lado menos emocional e mais empírico. Porém, não foi elaborado aqui nenhum estudo econométrico ainda. A intensão e elaborar alguns estudos no decorrer do tempo, e que serão devidamente compartilhados aqui. Continuar lendo

O que somos?

Perdido em pensamentos sobre o atual momento brasileiro, lembrei-me de um belo texto escrito pelo mestre Celso Furtado em 1984, em ocasião do I Encontro Nacional de Política Cultural. Intitulado “Que somos?”, Furtado tece algumas críticas a forma de desenvolvimento imitativo adotada pelo Brasil, que “reforçou tendências atávicas de nossa sociedade ao elitismo e à opressão social”, criando ainda “formas mais sutis e insidiosas de dependência”. Claro que Furtado escreve tais palavras com olhos para os efeitos na construção cultural de um país, porém podemos tomar emprestado tal pensamento para uma aplicação na atual realidade brasileira. Continuar lendo

O que esperar do Joaquim Levy?

Recentemente recebi um artigo escrito por Joaquim Levy em setembro de 2014, se não me engano. Decidi fazer uma leitura do artigo para ver se pescava algo indicativo sobre o que esperar da sua passagem pelo Ministério da Fazenda. Escolhi esse artigo por ser, aparentemente, o mais recente escrito por ele. Claro que um artigo não é suficiente para traçar um esboço tão audacioso, porém lendo o artigo e as últimas notícias, ajudou bastante a compreender os motivos do nosso novo ministro da fazenda.

Continuar lendo

A simplicidade precisa ser evitada – Terraço Econômico

Tive um texto meu publicado hoje no blog Terraço Econômico. É um blog novo, mas os caras mandam muito bem. Eles buscam criar um ambiente todo focado no debate de idéias, um espaço realmente muito diversificado.

Eles possuem uma área para pessoas de fora do blog contribuírem também. Foi lá que meu texto foi publicado. Segue o link para vocês darem uma conferida. Recomendo que sigam o blog, vale muito a pena.

http://terracoeconomico.com/2015/01/21/a-simplicidade-precisa-ser-evitada/

Equipe Econômica e Selic

Demorei mas enfim vim comentar a nova equipe econômica do governo Dilma. Governo esse apelidado de “Dilma 2.0”, por ser uma guinada a ortodoxia e um governo mais aberto ao diálogo. Mas falemos primeiro da equipe econômica. Começando por quem não saiu, continuaremos com o Tombini na direção do Bacen. Uma ótima escolha para o banco, que tem como desafio fazer a inflação voltar ao centro da meta, e até mais abaixo dela. Ele é um nome de extrema qualidade e competência, previu em 2012 um cenário adverso e iniciou um processo de redução da Selic, que chegou a 7,25% e permaneceu nesse patamar por um bom período. Dizem que ele errou em demorar tanto para retornar a subir a Selic para contar a inflação, mas de fato a queda da Selic foi fundamental para o modelo anticíclico que o governo Dilma usou. De fato está com problemas em fazer a inflação retornar para o centro da meta, mas a isso atribuo dois motivos. Primeiro seria o principal motivo da inflação. Ela não é apenas uma inflação de demanda, mas de custos, o que afeta a oferta. Além de ser uma inflação majoritariamente de serviços, que sofre uma grande elevação graças as indexações que determinados serviços sofrem. Outro ponto seria a expansão dos gastos do governo, que deveriam ser um pouco mais contidos em momento de inflação tão pressionada.

Continuar lendo